Pernambuco

Pernambuco planeja adotar em festas fechadas de réveillon e carnaval regras contra Covid

O governo de Pernambuco planeja adotar em festas fechadas de réveillon e de carnaval as mesmas regras de prevenção à Covid-19 já anunciadas para grandes eventos. A declaração foi feita, nesta sexta (24), pela secretária-executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça.

Entre as medidas que foram anunciadas na quinta-feira (24), que devem ser replicadas, se houver festas de ano novo e de carnaval, está à obrigatoriedade de utilização das máscaras.

Outra exigência é a vacinação completa em espetáculos até cinco mil pessoas. Essa é a capacidade de público que deve ser autorizada a partir de novembro.

A partir de segunda-feira (27), todos os eventos podem ter até 2,5 mil pessoas, sendo 90% delas totalmente vacinadas e 10% com uma dose, contanto que seja apresentado teste negativo para a Covid-19. O teste, se for RT-PCR, deve ser feito até 48 horas antes ou teste de antígeno, até 24 horas antes.

Para que a regra de vacinação seja cumprida, o governo decidiu utilizar, nos eventos, um tipo de certificado digital de comprovação de vacinação e de teste negativo de Covid, chamado “Passe Seguro”. O custo deve ser de, em média, R$ 10.

A ferramenta vai servir para evitar a demora em filas. Assim, as pessoas podem apresentar a documentação (comprovante de vacina e exame) pela internet, na hora da compra do ingresso.

A equipe da organização faz a checagem e, na entrada dos eventos, o participante pode exibir um QR Code para poder entrar no local.

“A gente precisa respeitar as regras para continuar evoluindo. Em breve, poderemos anunciar réveillon e carnaval. Todo mundo está numa expectativa muito grande, mas a gente precisa, nessa retomada, que ela ocorra de forma gradual e seguindo as regras”, disse Ana Paula Vilaça.

A secretária não deu informações sobre estimativa de público nem se o governo pretende autorizar o festas de rua no ano novo ou no carnaval.

Uma das empresas responsáveis pelo certificado digital já oferece o serviço para cidades no Brasil, na Índia e na Inglaterra. A ferramenta é chamada de Passe Verde.

“O passe foi concebido para dar celeridade ao processo de entrada, evitar o grande problema de aglomeração em filas na hora de entrar nos eventos. Ele permite que você faça uma checagem prévia dos dados de vacina e grave, no QR Code do ingresso ou no próprio certificado do Passe Verde, que aquela informação está válida”, declarou Romero Costa, presidente da empresa.

Retomada

No dia 2 de outubro, o Classic Hall, em Olinda, recebe o primeiro show depois de um ano e meio fechado. A casa de shows, que recebe Geraldinho Lins e Alceu Valença, decidiu reabrir somente depois que o governo permitiu a presença de 2,5 mil pessoas nos grandes eventos.

“Na entrada, haverá medição de temperatura e distanciamento entre as pessoas para evitar aglomeração tanto na entrada quanto na saída. Quando entrarem, haverá distanciamento das mesas. Vamos trabalhar com dois metros de distanciamento, no mínimo, com mais que isso em alguns locais. Vai ter álcool em gel em todas as mesas”, afirmou Lincoln Costa, diretor comercial do Classic Hall.

Recife

Mesmo sem decidir pela realização de carnaval de rua, a prefeitura do Recife criou uma comissão para trabalhar na festa de 2022.

A Comissão Interna do Carnaval é formada por diversas secretarias do município. O grupo ficará responsável por deliberações e ações administrativas.

Segundo o município, a realização do evento de rua depende “do parecer das autoridades sanitárias”.

A administração municipal afirmou que o objetivo da comissão é garantir o cumprimento de prazos, a articulação externa e “todas as demandas pertinentes ao ciclocarnavalesco”.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *