Notícias

Sobe para 88 o número de mortos em série histórica de tornados nos EUA

O balanço dos mortos deixados por uma histórica série de tornados nos Estados Unidos subiu para 88 na noite de segunda-feira (13), enquanto o presidente Joe Biden anunciou que visitará essa região do Centro Oeste do país, onde muitas cidades ficaram em ruínas.O estado do Kentucky foi o mais afetado. O governador Andy Beshear informou que até o momento foram confirmados 74 mortos e 109 pessoas continuam desaparecidas. O balanço de vítimas tem sido revisto com frequência após o que Biden chamou de “uma das piores séries de tornados” da história do país. “Pode levar semanas até termos uma contagem final das mortes e dos níveis de destruição”, lamentou o governador de Kentucky.

“Haverá mais. Acreditamos que [o balanço] superará os 70, talvez inclusive os 80”, disse Beshear, que durante o fim de semana estimou que o número de vítimas poderia ser maior que cem. Os falecidos tinham entre 5 meses e 86 anos, segundo o governador. Uma das cidades do estado que sofreu mais danos foi Mayfield, onde muitas casas foram destruídas, assim como uma fábrica de velas, deixando oito funcionários mortos e outros tantos desaparecidos. 
Entre sexta-feira e sábado foram registradas ao menos 14 mortes em outros quatro estados vizinhos: Tennessee, Illinois, Missouri e Arkansas.

– Governo ao resgate –  

O gabinete do presidente dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira que Biden visitará a região na quarta-feira para avaliar a situação de emergência.  No domingo, Biden declarou Kentucky área de “catástrofe maior”, permitindo assim o direcionamento de ajuda federal adicional para os esforços de recuperação.

“Estaremos presentes para permitir que a população se recupere e se reconstrua”, prometeu o secretário de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, nesta segunda-feira de manhã ao canal CNN.
Kentucky foi atingido na sexta-feira à noite por uma das maiores e mais poderosas séries de tornados já registradas nos Estados Unidos. 


A diretora da Agência dos Estados Unidos para Gestão de Desastres (FEMA), Deanne Criswell, alertou no domingo que esses estados enfrentam uma “nova norma” de multiplicação dos fenômenos meteorológicos devastadores.
Criswell destacou também a dimensão “incrivelmente rara” e “histórica” desses tornados para esta temporada.
Cerca de 28.500 pessoas estavam sem energia elétrica em Kentucky nesta segunda-feira, de acordo com as autoridades.


– Igrejas se tornaram abrigos –

Em Mayfield, pequena cidade de 10.000 habitantes no sul de Kentucky  – que faz parte do “cinturão da Bíblia”, onde há forte influência da Igreja -, grupos de moradores tentavam limpar os escombros, buscavam suprimentos e ajudavam os mais afetados, enquanto várias igrejas passaram a funcionar como abrigos para muitos evacuados.
Imagens de árvores caídas e casas destruídas se misturam com prédios derrubados pela força da tempestade em Mayfield. 


“Trabalhamos tantos anos por tudo isso e agora se tornou fumaça”, lamenta Randy Guennel, um aposentado de 79 anos, que conta que “não tem mais casas, mais carros, nada mais”.
Vanessa Cooper, de 40 anos e funcionária da escola técnica local, tentava resgatar o que podia do apartamento de sua mãe, do qual restam apenas duas paredes em pé. Três amigos a ajudavam a retirar os escombros retorcidos enquanto ela vasculhava entre móveis danificados.


“Não sei o que o futuro reserva, mas Deus me ajudou a superar muitas coisas na vida”, afirmou.
Sentado em uma cadeira em frente ao que restou de sua casa, Marty Janes, de 59 anos, olhava o vazio sem compreender, enquanto voluntários trabalhavam ao seu redor.
“Estou arrasado. É impressionante… Não tenho nada”, diz Janes à AFP.

Ele conta que só conseguiu salvar uma foto da formatura na universidade e duas bandeiras americanas que colocou em frente aos destroços da casa. Janes tinha ficado preso nos fundos de sua casa, enquanto sua esposa, Theresa, estava no quarto, quando o teto desabou. Depois de ser resgatado pelos bombeiros, o casal ficou separado durante dois dias enquanto Theresa esteve hospitalizada, conta ele com lágrimas nos olhos.

Não queria que sua esposa visse os danos em sua casa, agora inabitável.
Em entrevista à CNN, o coordenador de ajuda de Kentucky, Michael Dossett, comparou a situação com “a visão de uma zona de guerra”. Na cidade de Edwardsville, no sul de Illinois, seis pessoas morreram em um depósito da gigante do comércio online Amazon, onde trabalhavam no turno da noite processando pedidos antes do Natal.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *